Pages

quarta-feira, 3 de março de 2010

Precious Feeling...


Não tenho coragem nem disposição suficiente para narrar o que aconteceu neste dia em 2009, pois é muito doloroso. Não consigo olhar fotos, vídeos, falar sem que minha voz fique embargada e meus olhos marejem. Carrego comigo o sentimento de culpa...carrego comigo o "se".

Muitas pessoas ainda não tiveram a oportunidade de experimentar esse tipo de amor... ou por não gostar, ou por preguiça, ou por contenção de gastos. E, por não terem vivido e sentido esse amor, muitas vezes, não entendem essa relação completamente desgarrida de cobranças.

A dor que sinto ainda não se transformou na saudade gostosa, na qual todos falam a respeito e que vem com o tempo.

Bem, no final de janeiro,a professora do curso de inglês que faço em uma Library falou a respeito da revista anual que publica histórias dos alunos, conhecida como Speakout 2010. Era opcional a participação e sua história passaria por uma comissão para escolha das publicáveis. Imediatamente me interessei... e minha princesinha, tenho certeza, abanou o rabinho de felicidade ao saber que iria ganhar uma historinha sobre ela.

Peço desculpas pelo texto em inglês, mas queria postar aqui exatamente como escrevi...


Precious Feeling

Ten years ago, my mother, my sister and I earned from my father a little, white and cute present. He gave us a poodle puppy. She was 6 months-old and she already had a name, Yucha, and a lot of bad behaviors too, like peeing, chewing, digging and pooping everywhere and in everything. It was very tough in the beginning, because just my sister wanted that dog in our house. My mother and I didn’t need and didn’t want that responsibility and those chores every day.

But, we just fell in love with that little, fantastic, fun and adorable pet. About one week later, everyone in my house became “Yucha’s mommy”. All the chores were shared and Yucha was a good girl, because she didn’t make any mess in the house. Well, sometimes, she did, but it was not her fault, it was our fault for not going for a walk with her. We never trained her, but Yucha was very smart. She was always trying and ready to please us. She was the princess of our house and the best, loyal, and adorable company.

Two months before my move to Philadelphia, our precious Yucha died from a heart attack. She was nine years old. It was very painful because she was part of our family, she was our happiness. It was not easy to be in that house without our little white Yucha and with all the memories about her. Everything was there: her bowls, food, toys, bed…and we could not feel her there, her bark, her walk, and her hair, everywhere.

It is almost one year since Yucha passed away and I still miss her a lot. I want to adopt another little puppy, because, certainly, she or he will bring more happiness for my home. I’m trying to convince my husband to buy a “little baby” for me, because I want to feel that love for a pet that I felt once for my cute Yucha.

Kamyla Sa Leitao (Brazil)

Independence ESL


Feliz por ainda lhe ver em meus sonhos...


4 comentários:

Quel disse...

Que lindo! Vc tem razão, é uma amor que só quem tem um animalzinho sabe. E a perda é terrivelmente dolorosa. Falo porque amo animais (cachorros especialmente) e já tive vários.

Uma conviveu comigo por 15 anos (ganhei qdo tinha 10 e ela se foi quando eu tinha 25) dá pra imaginar o que senti quando ela morreu em meus braços?

Hoje tenho outra, de 6 anos, amor da minha vida. Nem gosto nem de pensar que um dia a gente vai ter que se separar. Então, não vou pensar nisso agora.

Há pessoas que, dps dessa perda, não querem mais se apegar de novo a um outro bichinho. Eu não consigo. Pra mim, nada melhor do que outro amor pra amenizar a ausência daquele que se foi. Mas, lógico, essa ausência nunca será esquecida.

Espero que vc consiga logo o seu little pet :)

danielle disse...

Danielle disse: Myla, como a gente se apega a esses pequenos seres....Na mamãe tem as meninas, Kate e Tucha que tb já estão bem velhinhas e cheias de problemas,e mesmo longe não gosto de pensar no momento em que elas se forem pq é muito bom chegar lá e elas correrem pra mim e não sairem do meu pé enquanto estou lá. Em casa tínhamos Apollo que teve que ser sacrificado pq pegou calazar(Foi terrível ver o Ari levá-lo sabendo que ele não voltaria, achando que ele sofreria, mas o Ari disse que foi bem tranquilo...Isso não diminue o sofrimento!!!)e a Sissi que tivemos que dar pq não tínhamos como trazê-la para nosso apartamento, seria pequeno demais pra ela, que além de espaçosa era muito levada. O consolo: a pessoa que ficou com ela, uma vizinha nossa, era apaixonada por ela e a trata muito bem. Mas realmente faz muita falta!!! Eu e Ariel estamos no mesmo processo que vc, tentando convencer meu maridinho a comprar um cachorrinho. Espero que vc consiga convencê-lo, pq aqui tá bem difícil!!!!
Bjosssssssss

Kamyla disse...

Quel e Daninha...só quem tem mesmo é que consegue sentir esse amor...adorei vcs terem compartilhado comigo suas fofurinhas!!!!!
E vamos conseguir um, breve, breve!!!!!
Bjossssssssssssss

Dani disse...

O texto ficou muito bom, amiga... and your english skills are amazing! I'm really impressed and proud of you!

Postar um comentário

Sinta-se a vontade em escrever... fale, questione, ou apenas diga "Oi"...mas tudo isso, claro, se estiver com vontade!!!!!!
Apenas, seja você.